Receita define que desconto de INSS não inclui vale-alimentação

Chega o mês de abril e todo mundo começa a se questionar: quem deve declarar IRPF 2020? Será que eu preciso? Como fazer isso?

Apesar de acontecer anualmente, a declaração do imposto ainda é uma incógnita para muitas pessoas. Existem algumas que preferem pagar para que outra pessoa faça, porque não sabe nem por onde começar.

Mas trouxemos agora um conteúdo muito importante e prático explicando quem deve declarar imposto de renda. Você vai entender quais são os critérios que fazer da declaração uma obrigação. Acompanhe.

IRPF 2020

Todos os meses, os trabalhadores brasileiros pagam impostos em suas folhas de pagamento. O imposto de renda é um deles, e é destinado ao governo através da receita federal.

Esse recolhimento acontece de acordo com a tabela IRPF 2020, que define qual é a alíquota, ou seja, o percentual, que deverá ser cobrado para cada salário.

Quem deve declarar?

Uma vez ao ano, todos os trabalhadores e contribuintes precisam descrever os seus rendimentos para que o imposto de renda seja conferido. É uma prestação de conta do cidadão com a receita, que acontece nos meses de abril e maio.

Isso é o imposto de renda, e esse é o motivo de sua declaração, que deve acontecer todos os anos. Mas afinal, quem deve declarar IRPF 2020?

Saiba quem deve declarar o imposto de renda 2019:

O imposto deve ser declarado todos os anos, conforme as datas divulgadas. No entanto, existem alguns casos em que a declaração se faz obrigatória. Veja quais são eles:

  • Pessoas que recebera, valores tributáveis acima de R$ 28.559,70. Neste ponto são considerados salários, aposentadoria, pensão, entre outros;
  • Recebeu valores não tributáveis superior a 40 mil reais. Aqui podemos destacar indenização trabalhista ou rendimento de caderneta de poupança;
  • Atividade rural com receita bruta superior a R$ 142.798,50;
  • Pessoas que possuam bens com cálculo de valor superior a 300 mil reais;
  • Acionistas da Bolsa;
  • Pessoas que vieram morar no Brasil definitivamente;
  • Pessoas que tiveram ganho de capital na venda de bens e direitos e pagou imposto.

Lembrando que quem não faz a declaração pode ser multado, e ainda tem o seu CPF pendente de regularização. Na prática, isso significa que a pessoa não poderá, por exemplo:

  • Fazer empréstimos;
  • Obter certidão negativa para venda ou aluguel de imóvel;
  • Tirar passaporte;
  • Prestar concurso público, entre outros.

Polícia Civil prende 17 suspeitos por fraudes em vistorias do Detran

O DETRAN – Departamento Nacional de Trânsito é um órgão responsável principalmente pela fiscalização, regulamentação e normalização do trânsito dentro de sua respectiva jurisdição, neste caso, as jurisdições são os estados brasileiros. É um órgão que faz parte do Poder Executivo da lei, ou seja, é regulado pela constituição federal e executado em todo o território nacional, em um regime de Autarquia, ou seja, cada jurisdição exige poder sobre ela mesma. O DETRAN em cada estado possui suas próprias leis e formas de execução, estando sobre sua autoridade a criação e modificação de tais.

O trânsito do estado de Rio Grande do Sul teve sua origem ligada a Inspetoria Geral da Guarda Civil e de Veículos, transformando-se em Departamento em 1969, sendo reestruturado para melhor atender a população. O principal objetivo do departamento é gerar um trânsito seguro e cômodo para todos os seus constituintes, assim como o Seguro DPVAT fazendo como via, cuidar de todos os exames de concessão da Carteira Nacional de Habilitação, fiscalizar e normalizar os documentos dos veículos emplacados no estado e sinalizar ruas e estradas situadas dentro de sua jurisdição.

Em sua estrutura, o DETRAN pensa no atendimento rápido e fácil para a população, e por isso possui além de diversos postos de atendimento em todo o território de Rio Grande do Sul, postos credenciados ao departamento e Circunscrições Regionais de Trânsito, a fim de conseguir atender com facilidade e comodidade toda a população do estado.

 

Igreja aconselha empregos ligados à natureza

Enquanto você recicla o lixo em casa e planeja colocar em prática outras atitudes sustentáveis, como reduzir o consumo de energia, tem gente pensando nisso em tempo integral, e ganhando para isso.

Empregos na Floresta

O programa de Estudos do Futuro (Profuturo), da Fundação de Instituto de Administração (FIA), entidade estabelecida por professores da USP, realizou uma pesquisa para identificar quais serão as carreiras mais promissoras e onde estarão as oportunidades de negócios para empreendedores, o estudo considerou o horizonte até 2030.

Áreas que mais devem gerar empregos verdes no futuro
  • Energias renováveis
  • Reciclagem
  • Transporte público
  • Transporte ferroviário
  • Prédios verdes
  • Reformas
  • Iluminação
  • Equipamentos e aparelhos eficientes
  • Atividades agrícolas sustentáveis de pequena escala
  • Agricultura orgânica
  • Agrofloresta
  • Manejo florestal sustentável

Para os entrevistados da pesquisa, a profissão com mais chance de crescer no futuro é Engenharia Ambiental, enquanto que a nova função a ocupar os quadros das empresas será gerente de Eco-Relações. Esse profissional irá se comunicar e trabalhar com consumidores, grupos ambientais e agências governamentais para desenvolver programas ecológicos. Para isso, terá uma formação abrangente, que incluirá conhecimento sobre leis e marketing.

Engenharia Ambiental é uma área promissora para evangélicos

A Engenharia Ambiental é uma profissão atual e cheia de mercado, até então.  Esta voltada para o desenvolvimento econômico sustentável, que nada mais é que respeitar o limite de exploração dos recursos naturais. O Engenheiro Ambiental ira atuar no diagnostico, manejo, tratamento e controle de todos os problemas ambientais sejam eles urbanos ou rurais. A grande diferença da engenharia ambiental é que ela não apenas identifica o problema, mas também propõe soluções inovadores para resolução dos problemas.

O engenheiro ambiental pode também fazer diversas pesquisas na aérea ambiental e elaborar estudos sobre o impacto ambiental e pode atuar firmemente na gestão ambiental e na certificação ambiental.