Programa Social Melhora a Qualidade de Vida dos Beneficiários

Em Lagoinha, povoado do município de São Gabriel, situado no Território de Irecê, o agricultor Antônio dos Santos, 45 anos, mostra os primeiros resultados da aplicação dos recursos do Programa de Fomento às Atividades Produtivas Rurais, no âmbito do Plano Brasil Sem Miséria (PBSM).

Com R$ 1 mil da primeira parcela, ele investiu na construção de uma pequena lanchonete e comemora a renda mensal de R$ 200 com o novo negócio e a Bolsa Família. Agora eu posso pagar o curso de informática da minha filha, que é R$ 50, e faço a feira. Agora, com o dinheiro do Plano consegui investir em meu próprio negócio, e não tem nada melhor do que ser patrão de si mesmo, diz o agricultor, que vive com a esposa e três filhos.

O PBSM é executado pela Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola (EBDA), vinculada à Secretaria da Agricultura, por meio da prestação de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater). Para a pedagoga e técnica da EBDA, Edna Maria Vieira, o agricultor Antônio dos Santos, é um empreendedor. Ele é muito inteligente, pois visualizou na região o potencial econômico para a venda dos salgados. Começou a comercializar os produtos em barracas emprestadas nas festas da região, e assim resolveu construir a lanchonete. Sem dúvida, há uma perspectiva de melhora grande na vida dessa família, enaltece.

No local, com três mesas, a família comercializa pastel, coxinha e enroladinho, produzidos pela esposa do agricultor. Ainda de acordo com Antônio a segunda parcela de R$ 700 do PBSM será aplicada na compra de um balcão. Eu não vou parar. Quero crescer cada vez mais, e neste sentido, a EBDA nos direciona para o melhor caminho, expõe.

Inclusão Produtiva e social – A inclusão produtiva e social rural é um dos focos de atuação do Plano Brasil Sem Miséria, programa criado pelo governo federal, em junho de 2011, para superar as condições de pobreza extrema no País até 2014. O Brasil Sem Miséria é direcionado aos cidadãos que vivem em condições de extrema pobreza, que tem renda familiar de até R$ 70, por pessoa.

Uma das ações do Plano é a assistência técnica, individualizada e continuada, de 253 mil famílias, no país. No plano ainda consta o fomento de R$ 2,4 mil, por família, ao longo de dois anos, para apoiar o aumento da produção e a comercialização excedente dos alimentos. O pagamento é efetuado por meio do cartão do Bolsa Família.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *